sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

MP desmente O estado do Tapajós, sobre o caso Alter


-NÃO É VERDADE A AFIRMAÇÃO DO TITULO DA MATÉRIA, O MP NÃO DESCARTARÁ OS LAUDOS JÁ EMITIDOS ATÉ ESSA DATA, POIS OS MESMOS CONTINUAM VÁLIDOS.
Os laudos serão usados como prova na ação civil publica proposta pelo órgão contra a prefeitura, em tramitação no Fórum de Santarém. O significado da palavra "descartar"  prevê livrar-se de alguém ou de alguma coisa importuna. Por tanto não há veracidade na informação, uma vez que as referidas análises continuarão sendo usadas como provas pelo MP, somadas as novas que serão realizadas.



Matéria do jornal estado do Tapajós, desmentida pelo MP



- Os laudos emitidos atestam que as analises estão "em não conformidade" com os padrões estabelecidos, pois os índices de coliformes totais e termotolerantes estão acima do que estabelece a resolução 357, do Conama. Todas as amostras, até esta data, apresentam índices superiores a 1000 unidades de coliformes por 100 ml de água, e a referida resolução estabelece que o limite de até 1000 para uso recreativo da água.

- A resolução 274/2000 do Conama referida na matéria, dispõe sobre a qualidade das águas, em relação ao nível estabelecido para a balneabilidade de forma a assegurar as condições necessárias a recreação do contato primário, na requisição do MP à Ufopa consta o pedido de exames para verificar tanto a potabilidade quanto a balneabilidade das águas não somente do rio, como do microssistema e da escola da vila.

Na reunião realizada no dia 25 de fevereiro, ficou definido que a prefeitura por meio da secretaria Municipal de Meio Ambiente, entrará em cooperação técnica com a Ufopa para realizar os exames tecnicos de balneabilidade conforme prevê a resolução 274, para que se tenha um relatório final relativo a balneabilidade. Tal ação não anula as anteriores, não descarta laudos anteriores, QUE JÁ POSSUEM ELEMENTOS SUFICIENTES PARA EVIDENCIAR O RISCO PRESENTE A SAÚDE PUBLICA.

- O Objetivo é que as análises sejam feitas não somente nesta oportunidade, mas torne-se ação permanente, com medições anuais periódicas, para garantia das qualidades das águas utilizadas na região, tanto para o consumo, como para recreação.

O Ministério Publico confia na plena capacidade e idoneidade da UFOPA, por meio de seus pesquisadores, em realizar analises , incluindo de responsabilidades da Professora Graciene Fernandes, todas feitas em conformidade com parâmetros científicos estabelecidos pela legislação

Lila Bemerguy - MPPA Santarém 
Assessoria

Não é o momento de negar o problema, os riscos existem .- Afirmou a  promotora de justiça Maria Raimunda.

O MP divulgou  ainda, nota esclarecendo a situação de Alter do Chão, no site Oficial do MP  - Veja a matéria completa - http://www.mppa.mp.br/index.php?action=Menu.interna&id=4950&class=N



Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir