terça-feira, 12 de junho de 2012

Dr. Erik Jennings emociona internautas com uma de suas experiências

NEM DEUS !


"Um jovem policial, ferido com um tiro na cabeça, entra na sala de cirurgia. Seu nome era Valter Benedito de Sá. Tinha sido ferido em trabalho. O tiro havido rompido uma grande veia, que passa entre os hemisférios cerebrais. Paulo, o neurocirurgião chefe do plantão, solicita minha ajuda para segurar o aspirador sobre o local de onde vinha o sague, enquanto ele tentava parar a profusa hemorragia. Eu, ainda médico residente, procurava manter a calma e ajudar o neurocirurgião a conter aquele maldito sangramento, que não queria parar. A lesão era enorme e havia atingido fatalmente aquela grande veia do cérebro.

-Não consigo mais ver a pressão dele, Paulo. Fala a anestesista, tentando a todo custo manter a pressão com drogas e transfusão de sangue.


-Não consigo controlar o sangramento, acho que vamos perdê-lo. Diz Paulo, com a voz trêmula e com o desânimo estampado em seu rosto. -Ele Parou, Paulo! Comunica a anestesista, já se dirigindo para o tórax para os procedimentos de ressuscitação cardíaca. O neurocirurgião chefe sai do campo cirúrgico para ajudar a colega da anestesia, enquanto me dá ordens para ficar em campo e ir fechando a ferida. Já não tínhamos mais um paciente, mas sim um cadáver, pálido, sem vida, com um coração parado por falta de sangue. Não havia qualquer esperança. Paulo fazia as massagens cardíacas e a anestesista administrava as drogas sem nenhum resultado.  -Não adianta mais. Podemos parar. Ele não vai voltar. Diz Paulo, vinte minutos depois. A anestesista concorda com um breve e desanimado balançar da cabeça. Era o fim das tentativas de voltar o coração.


Depois, chegara a parte mais difícil de uma situação dessas: comunicar a família. A família de Valter Benedito de Sá aguardava aflita do outro lado de uma pequena porta que separava o centro cirúrgico da sala de espera. Paulo, o neurocirurgião, se dirigi até a família e fala: -Infelizmente não teve jeito, ele ... Antes de Paulo terminar a frase, uma irmã do paciente, em desespero, começa a gritar. Chorava, e sem querer aceitar a noticia que estava para ser dada, faz uma pergunta a Paulo: -Doutor, o senhor está querendo dizer que só Deus, né? O neurocirurgião fica alguns segundos em silêncio, olha firme para a irmã do paciente e fala: -Nem Deus... Sinto muito.

Foram as últimas palavras do neurocirurgião, numa tentativa, ainda que precoce, de dizer a verdade, sem precisar falar claramente que o paciente estava... morto. Depois de um silêncio entre os dois, ele vai preencher a papelada de praxe. Enquanto isso, na mesa de cirurgia, a anestesista retira os fios que ligava o paciente aos monitores. O respirador já havia sido desligado a uns cinco minutos. De repente, ouvimos: -Paulo, corre aqui, vem ver isso! Grita a anestesista de dentro da sala. Ela estava com os olhos arregalados e nos mostrava que o paciente havia voltado a bater o coração. Havia inclusive alguns débeis movimentos respiratórios naquele corpo branco e frio. Ligamos novamente o respirador, os monitores e aguardamos. 


-Isso é só o efeito residual das drogas. Logo, logo ele vai parar novamente. Fala o neurocirurgião chefe. Seis meses depois, a enfermeira do andar me entrega uma carta que dizia: " gostaria de agradecer ao serviço de Neurocirurgia o Hospital Santa Marcelina de São Paulo por tudo o que fizeram por mim. Estou em Brasília, no hospital Sara Kubitschek fazendo reabilitação e gostaria de solicitar um laudo detalhado para explicar, a equipe daqui, o que aconteceu comigo. Desde já, agradeço". Assina : Valter Benedito de Sá. Fiquei olhando a carta e lembrando do caso e das últimas palavras do neurocirurgião: Nem Deus, nem Deus.  Uma seqüência de falhas em um diagnóstico precoce, somado a hipotermia e grande quantidade de drogas anestésicas pode ter sido responsável por aquela evolução inesperada. Haveria, sem dúvida varias explicações médicas para aquele paciente ter sobrevivido. Mas, o único laudo que vinha na minha cabeça era... só Deus".

Dr. Erik Jennings, neurocirurgião, via Facebook. 

Deixe um comentário sobre o texto.

28 comentários:

  1. Para Deus nada é impossivel...!

    ResponderExcluir
  2. Silvágner Grigório5 de novembro de 2013 12:31

    É porque o nosso Deus é o Deus do impossível.

    ResponderExcluir
  3. experiencias que passamos na vida , e que nós fazem refletir quanto ao imenso poder de DEUS. parabéns dr acompanho seu trabalho e sei do grande medico que se tornou.

    ResponderExcluir
  4. Dr. E rick, sua história me deu muita força. Obrigada mesmo.
    Nubia Malcher

    ResponderExcluir
  5. Arrepiei. Excelente história. Realmente Deus pode todas as coisas.

    ResponderExcluir
  6. A última palavra é do nosso Deus, ele tem propósito que as vezes não compreendemos mas é Ele que está no controle. Há Deus de poder!!!!

    ResponderExcluir
  7. "Jesus respondeu: – O que é impossível para os seres humanos é possível para Deus." - Lucas 18:27

    ResponderExcluir
  8. SÓ DEUS. SOMENTE ELE FAZ. LOUVADO SEJA O SEU SANTO NOME!

    ResponderExcluir
  9. Muito emocionante! Deus provou que existe.
    Deus abençoe dr. Erick, pessoa maravilhosa.

    ResponderExcluir
  10. Deus é maravilhoso, não há explicações, quando
    Deus tem um plano na vida de uma pessoa, ela não morre aconteça o que acontecer... Deus é Deus e ponto final.

    ResponderExcluir
  11. Que emocionante, é de arrepiar a bondade divina!!! Mais uma prova que Deus é TUDO!

    ResponderExcluir
  12. No começo fiquei muito triste, mais ai no final da história Eu chorei de alegria pois me algrei com o milagre que nosso Deus do impossível fez o melhor tava lá na Que la sala de cirurgia que ela o médico dos médico que é o nosso Deus o todo poderoso

    ResponderExcluir
  13. Deus é o médico dos médicos. Muito bonito esse texto, principalmente por nós mostrar o quanto Deus é presente em nossa vida. Parabéns de. Erik.

    ResponderExcluir
  14. Cara que história incrivel....👏👏👏

    ResponderExcluir
  15. Ja dizia o mestre dos mestres para Deus nada é impossível... basta termos fé e acreditar.

    ResponderExcluir
  16. Para Deus não existe impossíveis!!! Ele é o Autor da vida e Ele age na hora que o homem desiste e acha que não tem mais soluçao. Louvado seja o nome do Senhor.🙏 🙏 🙏

    ResponderExcluir
  17. Maior do que a ressurreição de um corpo físico morto é o milagre de fazer as pessoas crerem... É o milagre do novo nascimento que é a transformação de um homem de natureza pecadora em filho de Deus e, portanto, com a natureza de Deus. A respeito disso está escrito: quem crer e for batizado será salvo. E também está escrito: Se creres verás a glória de Deus ! E ainda, está escrito: Todos quantos creram deu-lhes o PODER de serem chamados filhos de Deus. Portanto, se o neurocirurgião chefe creu, podemos considerar que ocorreu dentro Dele um milagre ainda maior do que o que aconteceu com o paciente Valter.

    ResponderExcluir
  18. Quando contamos um milagre, na maioria das vezes, as pessoas duvidam do fato. Deus está presente em todos os nossos momentos e Ele pode tudo. Só DEUS!

    ResponderExcluir
  19. O nosso Deus tudo pode! É só crer, até mesmo ressuscitar os mortos! Parabéns Dr. Erik, admiro seu trabalho e que Deus sempre lhe dê direção e sabedoria!

    ResponderExcluir
  20. Deus eh Deus e não há outro igual a Ele,a palavra Dele diz que mesmo que morras viveras se credes em mim.

    ResponderExcluir
  21. Em tudo que fazemos, Deus está conosco. Sem dúvida ele sempre estará com você também doutor!

    ResponderExcluir
  22. Ninguém pode mudar os planos de Deus para vida de qualquer pessoa. Deus é o Deus do impossível... O médico dos médicos. Que Deus continue abençoando seu excelente trabalho Dr. Erick, meu irmão está tendo o privilégio de ser seu paciente e está vencendo por meio de um milagre e de sua ajuda a cura de um câncer. Deus é fiel!!!! Eu creio.

    ResponderExcluir
  23. Deus é maior!!!!! Muito linda a História! Ele sabe de todas as coisas!

    ResponderExcluir