Vacina 2ª Dose

Vacina 2ª Dose

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Jovens paraenses fazem registro de conferência nacional em Brasília

Dois adolescentes paraenses integram uma equipe de 60 jovens de todo o Brasil que fazem a “educobertura” da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que ocorre em Brasília a partir de hoje quarta-feira (11). Os jovens já estão na capital federal, onde participaram, na terça (10), de oficina no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, com atividades que usam técnicas jornalísticas na linguagem radiofônica, de televisão, web e texto.

A secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), Carmem Oliveira, destaca o momento histórico que a conferência nacional presencia, pois é a primeira vez que a cobertura oficial do evento é feita por jovens e adolescentes.

É um momento muito especial que vivemos com a educobertura, que já coloca a conferência na história da infância no Brasil. Além de ser a primeira vez que isso ocorre, é também nesta edição que registramos a maior participação de adolescentes em uma conferência”, destaca a secretária, referindo-se também aos 822 delegados adolescentes que terão direito a voto nas deliberações; destes, 25 são paraenses.

Os jovens Fábio Pantoja, 18 anos, e Tatiane Queiroz, 16, foram selecionados durante a 8ª Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, promovida, em abril deste ano, pelo governo do Estado e o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca).

Os adolescentes são orientados por uma equipe de onze educomunicadores experientes e de diferentes Estados, que usam uma técnica orientada pelo referencial teórico-metodológico de Paulo Freire, para, dentre outras coisas, valorizar o processo de criação, incentivando o jovem a discutir sobre democracia, direitos sociais e valores humanistas, sempre com foco no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“Cada adolescente vai escolher a linguagem que quer trabalhar, mostrando suas opiniões sobre uma diversidade de temas, que serão abordados não com uma perspectiva comercial da informação, mas com o envolvimento de cada um na defesa dos seus direitos. Não com um olhar neutro, mas de envolvimento com a pauta que irão trabalhar”, explica a jornalista Vania Correia.

Quando se interessou em participar da equipe de educobertura da conferência no Pará, Fábio Pantoja não imaginava que poderia chegar até Brasília representando o Pará. Ex-aluno do projeto Biizu, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), ele não esconde a felicidade e afirma que o Estado fará um ótimo trabalho.

Estou com as melhores expectativas porque quero que saiam propostas concretas daqui. Já tive o prazer de participar da educobertura estadual e agora estou aqui, conhecendo pessoas de todo o Brasil. Vamos mostrar que o Pará está presente de forma ativa na cobertura deste grandioso evento”, diz.

A outra representante paraense na educobertura da Conferência Nacional, Tatiane Queiroz é moradora do bairro da Cremação e estudante do Colégio Ulisses Guimarães. Ela nunca imaginou que poderia estar representando o Estado em um evento nacional, e espera que a experiência seja muito produtiva. “O que mais me chamou a atenção até agora foram as atividades, em que definimos juntos nossos objetivos e tarefas”, explica. Os trabalhos produzidos pela equipe serão publicados nos sites da Agência Jovem e Juventude Conectada, no hot site da Conferência DCA do Pará e nas redes sociais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário