terça-feira, 11 de outubro de 2011

Pronto Socorro Municipal: Médico causa indignação no atendimento.

INDIGNADO: "domingo a noite, eu estava voltando de alter do chão com meu amigo quando próximo a minha casa uma senhora parou seu carro na rua e desceu desesperada pedindo socorro. Parei o meu carro pra ajudá-la porque sua filha que devia ter uns 18 anos estava tendo uma convulsão. Meu amigo imediatamente entrou no carro da senhora e as levou rapidamente ao pronto socorro. Chegando lá ele desceu do carro pegou a menina no colo e saiu desesperado com a menina em estado gravíssimo procurando auxilio. Nesse tempo do carro até a sala de reanimação vários profissionais do hospital passaram por nós sem dar a menor atenção. Porem, o pior ainda estava por vir. Chegando na sala de reanimação, o meu amigo colocou a menina na maca e começou o processo pra reanimar a moça, foi quando ele me passou a chave do carro para q eu fosse estacioná-lo pois o mesmo estava na entrada do hospital e eu fui fazer isso. Depois de estacionar voltei e entrei com meu amigo para a sala de reanimação pra devolver a chave pra moça e perguntar se ela queria alguma coisa, ou que nós fossemos avisar alguém da família, algo dessa natureza. Quando entramos na sala, o médico responsável nós tratou como se fossemos uns animais. Simplesmente sem olhar na nossa cara, disse: saíam daqui agora, vocês não podem entrar aqui! Meu amigo respondeu: nós só queremos devolver a chave de senhora e saber se ela precisa de alguma coisa. O médico continuou sem olhar na nossa cara e respondeu: saiam daqui agora, e esperem lá fora ou eu vou chamar a segurança. Nós fomos escorraçados de lá de dentro simplesmente por estar ajudando alguém que precisava. 

Uma pessoa que deveria estar ali pra dá conforto e salvar as pessoas simplesmente não teve respeito nem com a paciente, nem com quem estava com ela. Um cara como esse não merece ser um médico. Profissão como essa é dom e não é pra qualquer um. Então aos meus amigos que estão fazendo esse curso, por favor, eu faço um pedido: independente da situação, da canseira, do que for sempre se lembrem de tratar as pessoas dentro de um hospital como gente e não como lixo. Eles precisam confiar em vocês. Não sejam como esse cara que não merece nem que eu o chame de médico. 
Ele era o médico da reanimação no domingo dia 09 de outubro de 2011 e isso aconteceu por volta das 19h00 da noite. Se alguém souber o nome desse cara pode postar aqui. pois ele merece q todos saibam o péssimo profissional que ele é!"

Fonte: Leonardo Perez via facebook

28 comentários:

  1. KALIL KZAN É O NOME DO ´´MÉDICO``

    ResponderExcluir
  2. Vergonha que ja virou rotina, boa rapaz, denuncie mesmo. Merecemos muito mais do que temos.

    ResponderExcluir
  3. absurdo que ja virou rotina. Parabens pela coragem.

    ResponderExcluir
  4. Vcs realmente leram o mesmo relato q eu?!?!? Moça em estado GRAVÍSSIMO precisando de reanimação?
    Cara se fosse a minha mãe dane-se chave...SIMPLESMENTE NÃO parem de prestar atendimento de EMERGÊNCIA...chave a gente resolve DEPOIS de estabilizar o paciente....
    Fala sério...PARABÉNS p médico q PRIORIZOU a paciente!!!

    ResponderExcluir
  5. Caro colega acima, não houve prioridade no atendimento, vc não entendeu realmente o relato ... houve um total desrespeito as pessoas, tanto a quem estava ajudando quanto da paciente ... a revolta é a maneira que o ser humano tem sido tratado, em um momento de desespero, de angústia não é admissível profissionais preparados para lidar com seres humanos em situações difícies nos desrespeitem dessa maneira!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. revoltante, mas eh a nossa realidade ...

    ResponderExcluir
  7. Bando de covarde que ficam falando mal e nem estavem lá para presenciar o fato.
    entre a chave e uma vida fico cm a vida....

    ResponderExcluir
  8. Nossa, e o leonardo quer ser médico? Será que ele sabe que tem que fazer redação no vestibular? e que tem prova de português? Crase, regência, vírgula, concordância, conjugação verbal, acentuação...

    ResponderExcluir
  9. De acordo com o relato acima, a paciente sofreu uma crise convulsiva, e não uma parada cardio respiratoria para que seu acompanhante adentrasse a sala de reanimação e ele proprio realizasse manobras de "reanimação", mas tambem acho que a população merece respeito, e a conduta do médico tem que ser avaliada pelos diretores do hospital! E parabens pela atitude de ajudar a menina!abraços

    ResponderExcluir
  10. o problema nao é ser médico, é ser GENTE. Que um dia o respeito ao outro seja prioridade na saude. Mostra sua cara DOUTOR

    ResponderExcluir
  11. EI LEONARDO Q SE MÉDICOOOOOOOOO ESTUDA ENTÃO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  12. Se ele não atendeu a moça ai tudo bem essa indguinação + pelo q eu to lendo ele atendeu a paciênte, então o certo e o médico

    ResponderExcluir
  13. Em resposta aos comentários gerados na internet em rede social e blog, assim como em entrevista apresentada na 1º Edição do Jornal Tapajós do dia 12 desse mês, venho em público com meu direito de informar minha versão dos fatos.
    Na noite do último domingo estava como plantonista no HMS do qual sou médico há anos, onde atendi uma paciente que chegou com quadro clínico de crise convulsiva, a mesma foi medicada, prescrita e encaminhada para observação. No momento em que digitava a prescrição fui avisado que estaríamos recebendo mais duas emergências trazidas pelo SAMU em instantes, foi quando entrou na sala de reanimação, local esse restrito a funcionários do hospital escalados para este setor, um rapaz que havia trazido a paciente. Fui direto e claro com o rapaz que ele não poderia estar nesse setor, repeti a informação várias vezes, mediante a inúmeras e diversas justificativas que não mudavam em nada o fato de o mesmo não poder ficar dentro da sala, solicitei que a segurança do hospital fosse acionada para retirar o rapaz da sala de reanimação. Reafirmo que não ofendi, agredi ou deixei de prestar atendimento o que pressuponho ser o fato mais importante de toda essa história; com a paciente estabilizada prestei informações a mãe da paciente, que após orientação avaliaria a quem a mesma gostaria/deveria repassar as mesmas informações. Após todo esses fatos já esclarecidos, fui ofendido publicamente em blog, rede social, o que gerou um transtorno a minha família e amigos, pois em muitos momentos foram agressivos e até ameaçadores causando minha indignação pelo rumo e a proporção tomada, pelo simples fato de exercer meu trabalho, atendendo a paciente, cumprindo rotina e as recomendações do hospital em que estava trabalhando. Finalizo meu direito de resposta sem nenhum pedido de desculpas, pois no final de tudo eu que fui ofendido!
    Dr. Kalil Antônio Kzan Pereira.
    Solicito ao moderador do blog que retire os comentário agressivos.

    ResponderExcluir
  14. conheço o médico, pois trabalhamos juntos no qtel e o mesmo é gente finíssima, não tem lógica os termos falados desse cara

    ResponderExcluir
  15. Muito boa sua pronunciação, mas pelo que consta o rapaz não disse que não houve atendimeto, pelo contrário ele afirma que a moça foi atendida ... sua idignação e de todos que estão postando aqui é a maneira como todos os dias somos tratados pelos profissionais da saúde, médico e enfermeiros principalmente no hospital municipal ... quem te conhece Dr. não é de se espantar sua grosseria, já fui sua aluna e sei bem qua´l sua maneira de tratar as pessoas ...
    Parabenizo a coragem do Léo que não mediu esforços para que isso não ficasse impune!!!!!!!

    Poço de doçura esse médico, não aguenta grosseirias??????????/ Então pense duas vezes antes de tratar as pessoas como se lixo fossem, olhe nos olhos dos outros ao falar, demonstre respeito ao seu semlhante

    ResponderExcluir
  16. A partir de agora teho certeza que o Dr. irá tratar as pessoas com mais respeitooo!!!!!!!!!!

    Deveria pedir desculpas sim, em nome de todos os médicos e enfermeiros que nos tratam mal nos atendimentos, que não nos fala nos olhos e acham que estão fazendo fvor!!!!!!!!!!!!!!

    Revoltante a arrogância desse Doutorzinho!

    ResponderExcluir
  17. Adrean Henrique Castro de Almeida14 de outubro de 2011 13:06

    Caro doutor, por várias vezes, vocês médicos tornam-se desumanos sem perceber, não sei se isso é ensinado na faculdade ou se é por causa da intensa carga de estudo e trabalho que são submetidos, acredito eu que não seja nem por uma nem por outra causa aqui citada e sim por simples falta de educação e muita soberba, achando-se os donos da "verdade", é uma profissão admirável quando exercida por pessoas humanas.Doutor Sendo regra do hospital ou não, o sr deveria ser sim educado e polido com todos independente de poder ou não estar no local onde o sr informa que é só para funcionários,e eu acredito que orgão público é do povo, acredito que o rapaz foi destratado pelo sr sim, pois ninguém vem a público denunciar algo grave sem ser verdade, principalmente no hospital municipal onde temos conhecimentos de várias barbaridades cometidas pelos funcionários deste estabelecimento público contra cidadãos santarenos, parabéns pelo sr. ter realizado o seu trabalho atendendo a paciente o mais rápido possível, no entanto ententa que mesmo em local inadequado o Sr. e qualquer agente público jamais deve destratar qualquer pessoa que esteja no hospital, e destratar não é só ofender e sim também o tom de voz, o sr e seus colegas deveriam passar por uma reciclagem de relações humanas, pois humanidade e atendimento digno é o minimo que a população espera. Pense bem se no calor do momento o sr e até mesmo o rapaz da denuncia que eu conheço de vista por termos amigos em comum e frenquetarmos o mesmo cursinho não passaram do limite, que isso sirva de lição para o sr e seus colegas prestarem mais atenção no modo como estão atendendo, salvar vidas não é só reanimar e prescrever remédios, salvar vidas é também ser integro do começo ao fim do atendimento, idependente dos que o cercam...Sou Santareno, sou paraense, e sei o que é ter uma pessoa amada nos braços quase morta e ser atendido de forma rispida e desumana nesse hospital. Aqui não tem certo ou errado, o sr errou, o rapaz errou, mas como profissional o sr deveria ter tomado conta da situação e não descabido para a agressividade e ameaças de excurrassar qualquer pessoa do hospital, pense, reflita e seja mais humilde, pois com a quantidade de alunos que estão sendo formado nas universidades de medicina, o sr corre serio risco de ser substituido, ou o sr acha que todos devem ser um Dr.House da vida. Sou contra ofender pessoas por qualquer meio de comunicação, é uma pena que a maioria usa a internet para promover a agressividade que é o caso de alguns comentários.

    ResponderExcluir
  18. VAI ESTUDAR LEONARDO ASS: MARCELO

    ResponderExcluir
  19. As pessoas aumentam muito as coias, os fatos precisam ser apurados, testemunhas existem pra isso. Então que a Diretoria do HMS faça uma investigação e apure os fatos, ofensas não podem ser aceitas. Se o médico agiu da maneira indicada, agora o relator do fatos está agindo pior! Você denunciar um fato é diferente de você ofende o outro! Você já perde a razão por aí. Todos sabemos as condições de trabalho no HMS. Esses dias precisei levar um paciente na Emergência do Hospital e como ele estava acompanhado da esposa, fui informada de que não poderia permanecer no Local e assim o fiz. Norma é norma e deve ser cumprida. Se queria dá a chave que pedisse para chamarem a mãe da moça, já que a mesma estava estabilizada. Gostaria de saber a opinião da família da moça, será que a mãe da moça em questão está ciente que o ato de 'bondade' do rapaz, gerou toda essa confusão! Parabéns a ele pelo ato de solidariedade e parabéns também ao médico que atendeu a paciente e não deixou que nada demais grave acontecesse à ela. Creio que isso tudo foi um grande mal entendido!

    ResponderExcluir
  20. Eu tbm acho que foi um mal eentendido, o médido foi muito infeliz quando ao se dirigir ao rapaz de forma ríspida e mal educada ... aqui o que está havendo é a indignação ´popular provocada por esta denúncia, o rapaz só fez denunciar, e as pessoas é que estão tomando seu posicionamento ...

    ResponderExcluir
  21. A falta de "tato" desse médico e n doutor (pq doutor é quem tem doutorado e ele nem residência fez), é bastante conhecida dentro do hospital n só pelos pacientes, mas tb pelos enfermeiros. Acho que demorou para alguém denunciá-lo.

    ResponderExcluir
  22. Antes de jogar pedras no médico, os fatos deveriam primeiramente ser verificados.
    Eu conheço o Leonardo e apesar de ser uma boa pessoa, sei como as vezes ele pode ser incoveniente, conheço também o outro lado da rotina em salas de reanimação, são locais de EMERGÊNCIA, pressa, onde o tempo vale ouro, o espaço é essencial para a circulação livre dos profissionais no atendimento do paciente, sendo extremamente prejudicial grande número de pessoas, por isso a restrição, para possibilitar um MELHOR atendimento.
    Não estou defendendo o médico, porque nem o conheço, mas estou defendendo a sua atitude de fazer o que é a sua obrigação: salvar a paciente sem precisar sem interrompido!
    Leonardo, quando você estiver estudando medicina vai aprender que em primeiro lugar vem o seu paciente, é a ele que você deve dar toda a prioridade, claro que o médico poderia ter sido mais simpático com você, mas ele só estava querendo trabalhar em paz.

    ResponderExcluir
  23. Todos tem o direito de se manifestar. Eu penso que o caso aqui se resume na seguinte questao... não é o que o médico disse e sim COMO ele disse. Ja presenciei esse doutorzinho passando por pacientes e funcionarios do H Municipal como se as pessoas que estao ali nao merecessem sua presença. ORA... Ninguem precisa estudar medicina pra ser educado, para ser gente. Eu nao conheço o Lenardo, mas sei que ele é um rapaz de coragem e solidario. Eu conheço esse tal medico e sei que ele é grosseiro com os mais humildes e com seus subordinados. É hora do SECRETARIO de saude por um basta nisso. Nao pagamos medicos para nos maltratar. CHEGA... CHEGA... cansei desse papo, pena, caros leitores que nao vai dar em nada ate o dia que ele encontre uma pessoa tao mal educada quanto ele e ai sim, a coisa vai ficar feia, isso é tragedia anunciada.

    ResponderExcluir
  24. kakkakkakka pra ser medido tem que ser mau educado? Ninguem merece.... Pior que ele, so quem defende, e a outra denuncia... qual a defesa agora? Entao, saia do H Municipal, que o senhor tanto despreza e monte seu consultorio, dentro da sua especialidade e vejamos quantos clientes terá?

    ResponderExcluir
  25. Olá, já tive a oportunidade de estagiar no HMS e nunca tive queixas algumas do Dr. Kalil, pelo contrário, sempre foi bem falado entre os funcionários e estagiários. Pelos contatos que tivemos se mostrou sempre prestativo, dinâmico e dispostos a ensinar, mesmo não sendo esse se papel. Portanto, não acredito que o Dr. Kalil possa deixar sua carreira se esvair em um momento, pois, com certeza já passou por situações parecidas e não se teve queixas do mesmo.

    ResponderExcluir
  26. Olá, já tive a oportunidade de estagiar no HMS e nunca tive queixas algumas do Dr. Kalil, pelo contrário, sempre foi bem falado entre os funcionários e estagiários. Pelos contatos que tivemos se mostrou sempre prestativo, dinâmico e dispostos a ensinar, mesmo não sendo esse se papel. Portanto, não acredito que o Dr. Kalil possa deixar sua carreira se esvair em um momento, pois, com certeza já passou por situações parecidas e não se teve queixas do mesmo.

    ResponderExcluir
  27. Nossa, e o leonardo quer ser médico? Será que ele sabe que tem que fazer redação no vestibular? e que tem prova de português? Crase, regência, vírgula, concordância, conjugação verbal, acentuação... kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  28. Gente, ele n pode abrir consultório, ele n tem especialidade nenhuma. Ele nem residência fez!!!

    ResponderExcluir