sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Cotado para presidência da FUNAI, antropólogo vem há uma década denunciando artimanhas das ONGs para frear o Brasil

Taxado de direitista, conservador e “antropólogo do agro nacional” criticado por seus pares, temido pelas ONGs e visto com desconfiança e ambiguidade por lideranças e populações indígenas o antropólogo goiano Edward Luz é um dos nomes mais cotados para assumir o comando da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). Edward Luz é bacharel e mestre em Antropologia pela Universidade de Brasília onde ingressou e estudou sob a orientação do professor Stephen Grant Baines. Viveu entre indígenas ao longo de toda sua vida, mas fez seus estudos de pós-graduação durante mais de três anos com índios Akwen-Xerente, no interior do Tocantins, onde realizou pesquisas sobre o universo mitológico e ritualístico daquele grupo indígena do tronco Macro-Jê.